Segundo a Läut Cervejaria: Sabia que muitas marcas ainda fazem uso da exploração animal?

A Cerveja vegana pode depender desde a garrafa até a sua composição total.

De acordo com a Läut Cervejaria, está na legislação brasileira de que a cerveja é a bebida obtida pela fermentação alcoólica do mosto cervejeiro oriundo do malte de cevada e água potável, por ação da levedura, com adição de lúpulo.

A Läut Cervejaria, localizada na Cervejaria Nacional em Nova Lima, explica que a lei estabelece ainda a proibição de se adicionar produtos de origem animal à cerveja, se alguém adicionar mel à receita de sua cerveja, por exemplo, a bebida resultante não pode ser classificada como cerveja.

Então, acredite se quiser, mas a maioria das cerveja não é vegana. A maior parte dela é feita basicamente a partir de malte de cevada, água, lúpulo e levedura – todos vegan aproved. Mas, algumas cervejarias usam produtos de origem animal como gelatina e cola de peixe no seu processo de filtração, tornando assim o seu produto não-vegan.

Por que algumas cervejas não são veganas?

A produção de cerveja não se limita aos ingredientes, além destes se adicionam matérias auxiliares e/ou auxiliares tecnológicos, que podem ser derivados de animais.

Sabe o que significa “Isinglass”?

Isinglass (uma espécie de “cola de peixe”), trata-se de uma substância gerada através de bexigas secas de peixes. Sendo uma forma de colágeno utilizado principalmente para a clarificação do vinho e da cerveja.  Alguns fabricantes de cerveja e alguns fabricantes de vinho ainda hoje usam este método arcáico de clarificação. Levando em conta que muitas cervejas famosas possuem em sua composição.

Até onde se tem notícia, a grande maioria das cervejas brasileiras não utilizam nem o Isinglass nem qualquer outro produto de origem animal em sua fabricação.

Podemos levar em conta também muitas marcas de cervejas populares que patrocinam rodeios e/ou outras atividades relacionadas à exploração animal.

Existe um site norte americano que traz uma grande lista com alguns tipos de bebidas e diz se elas são ou não veganas baseado em troca de e-mails com as empresas responsáveis. 

Os materiais auxiliares são substâncias usadas intencionalmente para desempenhar uma dada função durante a obtenção, tratamento ou transformação de matérias-primas, gêneros alimentícios ou seus ingredientes, que podem ocasionar a presença involuntária de resíduos ou de seus derivados no produto acabado.

Algumas cervejarias fazem o uso de um colágeno chamado de “Isinglass” para a clarificação do produto. O Isinglass é uma espécie de “cola de peixe” obtida da bexiga secas de alguns peixes de água doce, principalmente do esturjão.

Como regra geral, as cervejas acondicionadas em barris são clarificadas por meio do Isinglass e não são cervejas veganas.

No Brasil, não é muito comum o uso do Isinglass na fabricação da cerveja, porém isso ainda não torna as nossas cervejas veganas, pois o veganismo é uma postura política, não apenas uma dieta, e a maioria das marcas nacionais patrocinam rodeios, vaquejadas e/ou outras atividades de exploração animal.

As melhores cervejas veganas podem conter garrafas recicláveis, ser sustentável e ter gostos peculiares também, podendo ser cítrica, ter notáveis aromas de lúpulo e um sabor acentuado de malte, ou conter trigo, e sendo ligeiramente temperada com coentro fresco moído, afirma a Läut Cervejaria.

Curiosidade: Sabia que há grupos de pessoas cervejeiras mas que apenas consomem cervejas veganas?

Como descobrir se a bebida alcoólica é vegana?

Comum ou esquisito, é fato que muitas bebidas alcoólicas no mundo usam produtos de origem animal em seus ingredientes. Isinglass, clara de ovo, gelatina, corante carmin, carvão de osso e até sangue são alguns dos componentes mais comuns. Mas como saber qual marca de bebida é ou não é vegana?

Em primeiro lugar, é normal que vinhos orgânicos sejam veganos e que cervejas alemãs ou artesanais não contenham componentes de origem animal, porém para toda a vasta maioria de bebidas alcoólicas ainda é difícil saber qual foi filtrada com componentes de origem animal.

Mas você sabia também que nem todos os vinhos são veganos também? Entenda porquê e escolha de forma consciente

Para a Läut Cervejaria, “Há muito mais por trás da produção dessas bebidas antes que elas cheguem à sua taça.” Diz.

Mesmo que pareça mais contraintuitivo que pareça e apesar dos insumos básicos serem vegetais, diversos ingredientes de origem animal são usados na produção das bebidas, logo, elas não são necessariamente veganas. “Os vinhos tradicionais, até mesmo os orgânicos, são filtrados por meio de albumina, uma proteína derivada da clara de ovos – e daí o termo em português ‘clarificação’, ou através de uma substância extraída da vesícula de peixe, chamada ictiocola”, de acordo com a Läut Cervejaria.

Ou seja, a proteína não é adicionada à bebida, ela faz parte de um sistema de filtragem que capta minúsculas partículas que deixariam o vinho turvo.

O uso dessas substâncias, chamadas de floculantes, também são parte do processo de produção cervejeira e são usadas para filtrar as leveduras e tornar a bebida cristalina.

Ainda que esses materiais sejam descartados ao fim do processo, do ponto de vista vegano, é exploração animal. Por convenção, essa tecnologia coadjuvante é pouco usada no Brasil e já existem floculantes de origem vegetal e químico, ambos aprovados pela Anvisa.

Uma vez que o Ministério da Agricultura exige somente que os ingredientes principais sejam descritos no rótulo, é impossível saber se a empresa usou ou não um floculante de origem animal. A não ser questionando diretamente a marca e estabelecendo uma relação de confiança com o produtor.

Assim, para auxiliar a comunidade vegana internacional foi criado o banco de dados “Barnivore”, o qual lista mais de 20.00 nomes de bebidas alcoólicas e quais são ou não veganas. Basta escrever o nome da marca da bebida escolhida e verificar se ela apresenta um ícone verde ou vermelho. Caso seja verde, é garantido que a bebida é livre de insumos animais.

Apesar de não listar algumas das principais marcas de cerveja brasileiras, a lista é bem completa e agora já é possível saber facilmente se a bebida é ou não é fruto de exploração animal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here