Após ingressar em estudos promissores, Frederico José Otaviano Robalinho de Barros viu grande potencial na demanda para energia, sobretudo de energia térmica, nas regiões da Bahia.

A empresa de nome Brazil Energy S/A foi responsável, no ano de 2002, por criar o maior parque térmico emergencial do Brasil (com 368 MW). Através de um Consórcio com mais três empresas, somou investimentos em torno de US$200MM. Sua criação coincidiu com um período de grande crise de energia elétrica.

Com alta capitalização e grande conceito no mercado brasileiro, até o ano de 2005 a Brazil Energy S/A fora bem-sucedida. Posteriormente a Brasympe, uma das empresas do Consórcio, fez a aquisição de 60% da termelétrica termocabo (ela está localizada em Pernambuco e opera com sucesso até os dias de hoje).

Após o ano de 2005, a empresa passou a dedicar maior tempo e esforços para identificar oportunidades de negócios na área de energia. Dessa forma, no segundo semestre do mesmo ano, o ex-presidente do Paquistão, General Pervez Musharraf, visitou o Brasil. Durante sua visita, Robalinho, como CEO da BESA, foi convidado para fazer uma apresentação sobre projetos de energia. Após essa apresentação o ex-Presidente do Paquistão convidou a Brasil Energy para liderar um consórcio de empresas para investir em projetos de energia no Paquistão. “Antes de tomar a iniciativa consultei o Itamaraty que deu luz verde para dar continuidade ao projeto de investir em energia no Paquistão tendo em vista primeiro pela estabilidade e seriedade do governo do General Musharraf, e segundo porque a economia do Paquistão vinha crescendo muito na última década e o setor de infraestrutura vinha sofrendo grandes desafios e se apresentava como uma grande e rentável oportunidade para a BESA formar um consórcio para implantar um grande projeto de energia”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here